Racismo, etnocídio e limpeza étnica – ação oficial junto a quilombolas no Brasil

Maristela de Paula Andrade

Resumo


Este artigo analisa a ação de órgãos oficiais dirigidas aos quilombolas, no Maranhão. A partir da análise de casos, pretende-se apontar traços invariantes da ação de operadores dos aparelhos de Estado quando intervêm junto a esses grupos. Demonstra-se como as intervenções desses agentes oficiais conduzem, em alguns casos, a situações de desestruturação social que se pode qualificar de etnocídio e de limpeza étnica.

Palavras-chave


Quilombolas. Racismo. Ação oficial.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Alfredo Wagner. Terras tradicionalmente ocupadas. Manaus: UFAM, 2006.

AMARAL, Roberto. Um programa bloqueado. In: Jornal O Globo, Coluna de Opinião, 17.03.2009, p.7.

AMARAL, Roberto. Indo para o espaço. Folha de São Paulo, 28.02.2009. Caderno Tendências e Debates.

BOURDIEU, Pierre. O racismo da inteligência. In: BOURDIEU, P. Questões de Sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero,1983. p. 205-208.

CLASTRES, Pierre. Do etnocídio. In: CLASTRES, P. Arqueologia da violência. São Paulo: Cosac & Naify, 2004.

MARTINS, Cynthia. Os trabalhadores rurais de Cajueiro e o Centro de Lançamento de Alcântara - ação oficial e a transformação compulsória de um campesinato de terras de uso comum em campesinato parcelar. 1994. Monografia (Graduação em Ciências Sociais) – Universidade Federal do Maranhão - UFMA, São Luís.

MARQUES, César Augusto. Dicionário Histórico-Geográfico da Província do Maranhão. Rio de Janeiro: Cia. Editora Fon-Fon e Seleta, 1970.

MOURÃO SÁ, Laís. O Pão da Terra – propriedade comunal e campesinato livre na Baixada Ocidental Maranhense. São Luís: EDUFMA, 2007.

OLIVEIRA, João Pacheco de. Uma etnologia dos “índios misturados”: situação colonial, territorialização e fluxos culturais. In: OLIVEIRA, J. P. A viagem de volta – etnicidade, política e reelaboração cultura do Nordeste indígena. Rio de Janeiro: Contra Capa, 1999. p. 11-40.

PAULA ANDRADE, Maristela; SOUZA FILHO, Benedito (orgs.). Fome de farinha – deslocamento compulsório e insegurança alimentar em Alcântara. São Luís: EDUFMA, 2006.

PAULA ANDRADE, Maristela de. De pretos, negros, quilombos e quilombolas - notas sobre a ação oficial junto a grupos classificados como remanescentes de quilombos. In: Boletim Rede Amazônia, v. 2, 2003.

PAULA ANDRADE, Maristela de. Terra de índio – identidade étnica e conflito em terras de uso comum. 2. ed. São Luís: EDUFMA, 2008.

ROCHA, Ana Tereza Ferreira. Memória, identidade e lugar - ensaio sociológico a partir de uma experiência de pesquisa de campo. 2005. Monografia (Graduação em Ciências Sociais) – Universidade Federal do Maranhão - UFMA, São Luís.

ROCHA, Ana Tereza Ferreira. A festa inacabada - implantação do Centro de Lançamento de Alcântara e a constituição de sujeitos liminares. 2007. Dissertação (Mestrado) – PPGCS/ Universidade Federal do Maranhão - UFMA, São Luís.

SARDAN, Olivier. Anthropologie et développement – Essai en socio-anthropologie du changement social. Paris: Karthala, 1995. p. 56.

SARMENTO, Daniel. A garantia do direito à posse dos remanescentes de quilombos antes da desapropriação. Disponível em: http://www.cpisp.org.br/.

SOUZA FILHO, Benedito; PAULA ANDRADE, Maristela. Os herdeiros de Zeferino – relatório antropológico de identificação da comunidade remanescente de quilombo Santa Maria dos Pinheiro. São Luís: [s.n.], 2007.

WIEVIORKA, Michel. Le racisme, une introduction. Paris: La Découverte/Poche, 1998.

WOLF, Eric R. Sociedades camponesas. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.




Fronteiras: Revista de História - PPGH/FCH/UFGD
 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.