“Forças de dominação”: discurso intelectual, violência e justiça no Sudoeste do Paraná e Oeste de Santa Catarina (1912-1930)

Aruanã Antonio dos Passos, Alexandro Neundorf

Resumo


O artigo busca analisar, através de dois eixos interpretativos distintos e ao mesmo tempo imbricados, o discurso intelectual paranaense sobre o “Outro” no Conflito do Contestado (1912-1916) e as relações entre a violência e a formação de um senso de justiça popular no Sudoeste do Paraná. Para tanto, a relação estabelecida entre a constituição da “violência efetiva” e da “violência discursiva” intelectual durante toda a ocupação populacional dessa região é o ponto de partida para uma perspectiva de análise comparativa entre as “duas regiões”. Essa perspectiva é capaz de dar um outro olhar à história da região, para além da disputa pela terra, sua ocupação e o conflito eminente (Contestado) entre duas concepções de mundo conflitantes e constitutivas de relações de poder até então pouco contempladas pela historiografia, tanto paranaense quanto catarinense, em torno de acontecimentos afirmativos de sua memória e identidade.

Palavras-chave


Discurso intelectual, violência, senso de justiça, identidade, História Regional do Brasil.

Texto completo:

PDF


Fronteiras: Revista de História - PPGH/FCH/UFGD
 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.